Sobre A Rádio

Rádio Serra Verde FM 104.9FM

Diretoria

Nome Cargo Endereço
Adelino Sartor Presidente Jacinto Machado
Hilário Anelli Vice-Presidente Estrada Geral Pinheirinho do Meio – S/N - JM
Zenir Thomasi Mateus Secretária Estrada Geral Pinheirinho Baixo – S/N - JM
Augusto Pereira Segundo-Secretário Rua Gov. Jorge Lacerda – S/N – Centro - JM
Juarez Honório Coelho Tesoureiro Jacinto Machado
Hélio Giusti Segundo-Tesoureiro Rua Oscar de Oliveira Lopes – 187 – Bairro Figueira - JM

Conselho Fiscal

Nome Cargo Endereço
Valdir Barbosa de Oliveira Conselheiro Fiscal Estrada Geral Último Rio – S/N – JM
Aelson Lessa Conselheiro Fiscal Rua Irmãos Trevisol – 1559 – Centro - JM
Pedro Mezzari Conselheiro Fiscal Av. Padre Herval Fontanella – S/N – Centro - JM
Lidia R. Rovaris Conselheiro Fiscal Rua Gov. Celso Ramos –760 – Bairro Gávea - JM
Gilio Gregorini Conselheiro Fiscal Rua Gov. Jorge Lacerda – S/N - JM
Valdir Dal Pont Conselheiro Fiscal Estrada Geral Linha Floresta – S/N - JM

Conselho de Ética

Nome Cargo Endereço
Jurema Vefago Colares Conselheiro de Ética Av. Padre Herval Fontanella – 535 - JM
Hugo Giusti Conselheiro de Ética Av. Egídio Tomasi – S/N - JM
Ari Possamai Della Conselheiro de Ética Rua Irmãos Trevisol – 867 – Centro - JM
Claudir Manoel Savi Conselheiro de Ética Rua Gov. Celso Ramos – S/N - JM

Rádio Comunitária

A Rádio comunitária de Jacinto Machado foi idealizada no mandato do Vereador petista Sérgio Donisete de Araújo, em 1997, época que o presidente da república era Fernando Henrique Cardoso, governador Paulo Afonso Vieira e o prefeito de Jacinto Machado era Alcides Saretto. Era um propósito nacional que a comunicação via radiodifusão fosse democratizada, haja vista, a comunicação em massa via rádio estar apenas nas mãos de quem detinha poder econômico e financeiro.

Porém rádios e Televisões eram aprovadas e concedidas por vias políticas, a partidários defensores de grandes partidos a exemplo da Arena e MDB.
A democratização da comunicação iniciou-se em 1984 ainda no governo de José Sarney, onde, associações sem fins lucrativos, públicas, pudessem irradiar comunicação a uma população num raio de 1000metros. Contudo para obter este direito a Agencia nacional de telecomunicação exigia muitos documentos e ainda uma aprovação do senado federal que concederia uma frequência modulada, no caso de Jacinto Machado FM104.9.
Não foi fácil. E o primeiro passo foi reunir pessoas, dos bairros e comunidades de jacinto machado. Pessoas estas solidárias à causa de uma rádio que pudesse ser a cara do população local. Pessoas que desejavam ter acesso á comunicação informativa, recreativa, religiosa, cultural, educacional. Que fosse pública, sem lucros – Para Todos, com a opinião de todos. E contatos feitos com Padres Arcangelo, Angelo – iniciou-se a pedra fundamental da rádio. Com eles aprendeu-se a conhecer a legislação, as regras da radio difusão, e soube-se que era possível sim, implantar a rádio, desde que tivesse o apoio da comunidade.
E aconteceu. Juntou-se mais de 100 pessoas, e com o apoio inicial de Adelino Sartor e Wanderley Tomasi e do então vereador Sérgio Donisete de Araújo – reunião foram feitas.
Várias, muitas – em Jacinto Machado, Morro da fumaça, Jaguaruna – E em 27 de novembro de 1997, aconteceu a assembleia que constitui a associação dos amigos da rádio comunitária de jacinto machado. Muitos apoiadores estavam presentes, pessoas públicas, empresários, trabalhadores urbanos e da agricultura, professores, autônomos, religiosos, crianças e jovens etc.

Nasceu a associação e logo a Rádio Serra Verde FM comunitária 104.9. Nome que foi sugerido pelo então pastor Valdir Paulino, entre outros, foi o aclamado.
Colocada no ar, com equipamento adiquiridos por doação de todos. Foi instalada ainda em 1997 por um senhor alemão de Garopaba de sobre nome Hoffmman, era grande e gordo o senhor Hofmman. Inteligente e entusiasta da democratização da comunicação. Aprendeu-se que a rádio devia ir para o ar sem mesmo a aprovação do senado. Insistiu ele que somente resisitindo, indo para o ar é que seríamos notados e o processo de aprovação andaria no senado.
Toda documentação pronta, encaminhada para a ANATEL. Esperava-se a aprovação. A radio estava pronta, em dia, era do povo, democrática; era sem fins lucrativos; tinha estatuto. Obedecia a todas as exigências do governo. Porque não aprovavam nossa entrada no ar? – era o questionamento geral daqueles que lutavam por uma rádio pública. –

Então, em 1998, mesmo sem autorização colocou-se a Radio 104.9 no ar. A radio nascia para o povo em geral. Em todo o Jacinto machado se ouvia uma Rádio Nova, sem fins lucrativos. Com a intenção de ser cultural, musical, com inserções de apoios culutrais e informações de interesse público.
Mas, ainda neste ano – a Policia administrativa da Anatel – apresentou-se à radio, fechou, e levou equipamentos. Informando que se insistisse na emissão sonora a Policia federal prenderia seus idealizadores. Naquela época o presidente era Adelino Sartor. Que juntamente com o vereador Sérgio, responderam a processos na esfera federal até o ano de 2010.
Mas insistiu-se, em 2002 com a o presidente Lula no poder, facilitou-se para a democratização e finalmente a Rádio foi definitivamente reconhecida pelo governo federal e hoje é atração pública e relevante para a população de jacinto Machado.Isso só veio acontecer em 26 de maio de 2006, com autorga definitiva, para o primeiro período de 10 anos

RELAÇÃO DOS SÓCIOS DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DA RÁDIO COMUNITÁRIA DE JACINTO MACHADO

  • 01 – SÉRGIO DONISETE DE ARAÚJO
  • 02 – ZENIR TOMASI MATEUS
  • 03 – ADILTON ROCHA
  • 04 – VALDIR DAL PONT
  • 05 – ADRIANO CÓRDOVA ROSSO
  • 06 – EDVALDO JOSÉ TOMASI
  • 07 – ADELINO SARTOR
  • 08 – ANTÔNIO JOÃO DE FAVERI
  • 09 – PEDRO MEZZARI
  • 10 – HÉLIO GIUSTI
  • 11 – VALDIR PAULINO
  • 12 – VOLNEI VIEIRA GOMES
  • 13 – JOCI GOMES
  • 14 – MÁRIO NICHELE GENEROSO
  • 15 – VALMIR PAULINO
  • 16 – MARIA DAS GRAÇAS ZANATTA DE OLIVEIRA
  • 17 – GILIO GREGORINE
  • 18 – GILSON CORRÊA DA SILVA
  • 19 – JOSÉ CARLOS DAROS
  • 20 – DEISE TUON COLARES
  • 21 – JORGE COMIM
  • 22 – MARCOS COLARES
  • 23 – JAIME TITONI
  • 24 – AELSON LESSA
  • 25 – MARIA HELENA CECHINEL ZANATTA
  • 26 – MARIA NADIR SARETTO
  • 27 – ANTÔNIO BENDO MONTEIRO
  • 28 – ANGELO DAROLT
  • 29 – SANTOS RAMPINELI
  • 30 – ADELINO SARTOR
  • 31 – ADILSON CECHINEL DE OLIVEIRA
  • 32 – VALMIR DE SOUZA HIPOLITO
  • 33 – ZILEDES PEDRO LOPES DE CARVALHO
  • 34 – ADEMIR BENDO
  • 35 – AUXILIO BENDO
  • 36 – DONISETE BORGES
  • 37 – JUARES HONÓRIO COELHO
  • 38 – ALEXANDRE PIVA
  • 39 – LUDGERO FELDHAUS
  • 40 – JUREMA VEFAGO COLARES
  • 41 – SALVATINA T. TRAMONTIN
  • 42 – MÁRIO COSTA
  • 43 – POL JORGE ZACCA
  • 44 – AUGUSTO PEREIRA
  • 45 – ELADIO ROCHA HAHN
  • 46 – ARI POSSAMAI DELLA
  • 47 – VALDOMIRO RECCO
  • 48 – JOÃO BATISTA RIBEIRO
  • 49 – FRANCISCO DE ASSIS NUNES
  • 50 – LÉDIO DARABAS
  • 51 – HUGO GIUSTI
  • 52 – HILÁRIO ANELLI
  • 53 – GELSON NOVELLI
  • 54 – IRINEU TUON
  • 55 – ILDO SARTOR
  • 56 – VALDIR BARBOSA DE OLIVEIRA
  • 57 – VALMIR POSSAMAI DELLA
  • 58 – AMILTON VARGAS SANTOS
  • 59 – LÉDIO PATRICIO
  • 60 – ELENISE BARBOSA DE OLIVEIRA
  • 61 – VANIR ZANATTA
  • 62 – WANDERLEI TOMAZI
  • 63 – JANETE ZAUER TOMASI
  • 64 – WANDERLEI L. AMBONI
  • 65 – ANTONIO PORTO
  • 66 – GILIO MEZZARI
  • 67 – CARLO ABEL PICININI SCHIMIDT
  • 68 – CLAUDIR SAVI
  • 69 – VANIO PIZOLOTTO
  • 70 – VALENTIM POSSAMAI
  • 71 – LÍDIA ROVARIS